Site do Confea
Legislação > Consulta Geral
APRESENTAÇÃO
CONSULTA GERAL
CONSULTA POR ASSUNTO
 
- 27/05/2021
Resolução - Altera a Resolução nº 1.066, de 25 de setembro de 2015.
- 24/03/2021
Resolução - Altera o regimento do Colégio de Entidades Nacionais do Confea – CDEN, aprovado pela Resolução nº 1.056, de 30 de...
- 11/12/2020
Resolução - Define o título profissional e discrimina as atividades e competências profissionais do engenheiro de produção e do...
- 11/12/2020
Resolução - Altera a Resolução nº 1.030, de 17 de dezembro de 2010, que institui o Programa de Desenvolvimento Sustentável do...
- 10/12/2020
Resolução - Dispõe sobre os procedimentos para cobrança administrativa, inscrição de débito em Dívida Ativa, parcelamentos e...
 
Portarias sobre diárias
Calendário de Sessões Plenárias.


RESOLUÇÃO Nº 348, DE 27 OUT 1990.

Dispõe sobre a composição do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, e dá outras providências.

O Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Art. 27 da Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966,

CONSIDERANDO o caráter de norma parcialmente temporária da Resolução nº 159;

CONSIDERANDO o advento de nova legislação que veio incorporar à jurisdição do CONFEA novos profissionais, tais sejam os Meteorologistas, Geógrafos, Tecnólogos e Engenheiros de Operação;

CONSIDERANDO a reformulação do ensino de Engenharia trazida pela Resolução nº 48, de 1976, do Conselho Federal de Educação;

CONSIDERANDO as novas diretrizes e bases fixadas para a organização das Instituições de Ensino Superior, consoante a Lei nº 5.540/68, com o decorrente desaparecimento do conceito de "escola ou faculdade" como expresso na Lei nº 5.194/66,



RESOLVE:

- DA COMPOSIÇÃO -

Art. 1º - O Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia será constituído de 18 (dezoito) membros, brasileiros, diplomados em Engenharia, Arquitetura ou Agronomia, nas várias modalidades, habilitados na forma da Lei 5.194/66, obedecida a seguinte composição:

a) 15 (quinze) Conselheiros, representantes dos grupos profissionais, sendo 09 (nove) representantes do grupo da Engenharia, 03 (três) representantes do grupo da Arquitetura e 03 (três) representantes do grupo da Agronomia nas modalidades estabelecidas nesta Resolução;

b) 01 (um) Conselheiro, representante das Instituições de Ensino Superior do grupo da Engenharia, 01 (um) representante das Instituições de Ensino Superior do grupo da Arquitetura e 01 (um) representante das Instituições de Ensino Superior do grupo da Agronomia;

§ 1º - Cada Conselheiro terá um Suplente da mesma modalidade profissional.

§ 2º - O Presidente do Conselho Federal será eleito, por maioria absoluta, dentre seus membros.(1 )

§ 3º - A vaga do representante nomeado Presidente do Conselho Federal será preenchida por seu suplente.

Art. 2º - O Conselho Federal terá a sua composição renovada pelo terço, anualmente.

Art. 3º - Os mandatos dos Conselheiros e Presidente do Conselho Federal serão de 03 (três) anos.

Art. 4º - Os Conselheiros Federais representantes dos grupos profissionais serão eleitos na forma do Art. 30 da Lei nº 5.194/66 pelas entidades registradas de conformidade com resolução específica.

Art. 5º - Os representantes das instituições de ensino superior e seus suplentes serão eleitos, observado o registro organizado pelos Conselhos Regionais na forma da letra "p" do Art. 34 da Lei 5.194/66, em Assembléia de Delegados de cada grupo profissional, por maioria absoluta dos votos manifestados.

- DA REALIZAÇÃO DAS ASSEMBLÉIAS -

Art. 6º - Os representantes das entidades de classe nas Assembléias referidas no Art. 4º serão por elas eleitos na forma de seus estatutos.

Art. 7º - As assembléias das entidades de classe serão realizadas no mês de dezembro nas sedes dos CREAs e serão convocadas com 30 (trinta) dias de antecedência, por ofício e por edital, sendo dirigidas pelo Presidente dos respectivos CREAs.

Art. 8º - Às assembléias aqui referidas comparecerão representantes das entidades de classe que tenham, em seus quadros de associados, profissionais da modalidade com direito à indicação ao Conselho Federal.

Parágrafo único - Ficam entendidos como representantes das entidades de classe ou delegado eleitor todos os profissionais pertencentes ao seu quadro social quites com sua obrigação com o CREA.

Art. 9º - Será eleito Conselheiro Federal o candidato que obtiver a maioria absoluta dos votos manifestados em votação secreta.

Parágrafo único - Havendo empate na votação, dois novos escrutínios serão realizados, quando, persistindo o empate, será considerado eleito o candidato com registro mais antigo no respectivo CREA.

Art. 10 - O Presidente do CREA deverá encaminhar ao CONFEA cópia da Ata devidamente assinada pelos representantes das entidades presentes, por ele próprio e pelo secretário designado "ad hoc".

Art. 11 - As assembléias dos delegados das instituições de ensino referidas no Art. 5º serão realizadas na sede do CONFEA no mês de dezembro de cada ano, e serão convocadas com 60 (sessenta) dias de antecedência, através de ofício da Presidência do CONFEA.

Parágrafo único - O Plenário do CONFEA expedirá instruções onde fixará a data e hora da realização do pleito bem como indicará Comissão Especial composta de 03 (três) Conselheiros Federais para o recebimento das credenciais, apreciação do pedido de registro dos candidatos e seus respectivos suplentes.(1 )

Art. 12 - O delegado eleitor e seu suplente serão credenciados através de documentos idôneos pelo Reitor da Universidade ou Diretor responsável pela Instituição isolada, após designação das congregações ou órgãos equivalentes.

§ 1º - O delegado eleitor e seu suplente deverão ser profissionais do grupo interessado, registrados e quites com o CREA.

§ 2º - O suplente somente atuará na falta ou impedimento do delegado eleitor.

Art. 13 - Só poderão participar da assembléia de eleição as instituições de ensino superior com registro no CREA, homologado pelo CONFEA.



(1 ) Nova redação através da resolução 357/91 - 31/07/91.

§ 1º - Para os efeitos da presente Resolução, são consideradas instituições de ensino superior as Universidades e os estabelecimentos isolados de ensino superior.

§ 2º - Cada instituição de ensino superior terá direito a um único voto, independentemente do número de cursos do mesmo grupo profissional que ministrar.

Art. 14 - A apresentação das credenciais dos delegados eleitores será feita no Protocolo do CONFEA até 02 (duas) horas antes da hora marcada para a instalação da Assembléia. (1)

Parágrafo único - As credenciais, através de telex, fax ou telegrama, só serão recebidas quando transmitidas através da ECT com a declaração de autenticidade do documento apresentado à agência.

Art. 15 - O delegado eleitor, ou seu suplente, deverá comparecer pessoalmente à assembléia, não lhe sendo permitido outorgar poderes a outrem.

Parágrafo único - Cada delegado eleitor só poderá representar uma única instituição e só terá direito a um voto.

Art. 16 - A mesa da assembléia será composta pelo Presidente do CONFEA e por dois secretários "ad hoc", convidados pelo mesmo, dentre os delegados eleitores.

Parágrafo único - Aos secretários da mesa eleitoral caberá proceder à chamada dos delegados eleitores, acompanhar a votação, que será por voto secreto, ler e apurar os votos e lavrar a ata dos trabalhos.

Art. 17 - Poderão ser candidatos à vaga no Conselho Federal profissionais integrantes dos respectivos grupos, pertencentes ao magistério, independentemente da condição de delegado.

Art. 18 - O candidato e seu respectivo suplente deverão registrar as suas candidaturas, em chapa, no CONFEA, até 45 (quarenta e cinco) dias antes da data da Assembléia, através de ofício à Presidência do CONFEA, acompanhado da prova da função de professor, do registro no CREA, e que esteja em dia com suas obrigações perante o Conselho Regional..

§ 1º - O Presidente do CONFEA encaminhará em 03 (três) dias, após vencimento do prazo estebelecido neste artigo, para publicação no Diário Oficial da União, a relação das candidaturas regularmente habilitadas, em conformidade com a análise efetuada pela Comissão Especial prevista no Art. 11, parágrafo único, desta Resolução, comunicando aos interessados.

§ 2º - Do indeferimento do registro caberá, em 05 (cinco) dias da publicação, tão só pedido de reconsideração à Presidência do CONFEA.

Art. 19 - Será considerada eleita a chapa que obtiver maioria absoluta de votos dos delegados presentes.

§ 1º - Não sendo alcançada a maioria absoluta, no primeiro escrutínio, por nenhuma chapa, proceder-se-á até a dois novos escrutínios entre as duas chapas mais votadas.

§ 2º - No caso do § 1º, havendo empate para a habilitação aos novos escrutínios da segunda chapa mais votada, o critério de desempate será o de inscrição do candidato a Conselheiro Efetivo com registro mais antigo no Sistema.

§ 3º - Não alcançada a maioria absoluta, após os dois novos escrutínios, será considerada eleita a chapa composta por profissional candidato a Conselheiro Efetivo há mais tempo registrado no Sistema.

§ 4º - Os escrutínios posteriores, referidos no § 1º, serão realizados com a presença de qualquer número de delegados eleitores, adequando-se a maioria absoluta diante dos votos manifestados.



(1) Nova redação através da Res. 357/91 - 31/07/91

Art. 20 - O Presidente da mesa declarará o resultado indicando os votos obtidos pelas diversas chapas e proclamará os eleitos, Conselheiro Efetivo e Suplente.

Art. 21 - A ata dos trabalhos será assinada pelo Presidente, pelos componentes da mesa e demais participantes que o desejarem.

Art. 22 - Será obrigatória a existência de livro de presença, sendo facultado aos participantes fazer lavrar em ata qualquer pronunciamento relacionado ao processo eleitoral.

Art. 23 - Os casos omissos serão resolvidos pelo Presidente do CONFEA, subsidiado pelas normas estatuídas no Regimento do CONFEA.

Art. 24 - Caberá recurso ao Plenário do CONFEA do resultado da assembléia de delegados eleitores.

- DISPOSIÇÕES GERAIS -

Art. 25 - Nenhum profissional poderá exercer funções eletivas, em Conselhos, por mais de dois períodos sucessivos.

Art. 26 - Os Conselheiros Federais tomarão posse perante o Presidente do CONFEA na primeira Plenária do mandato para os quais foram eleitos.

Art. 27 - Para a execução do que dispõe a Lei nº 5.194/66 e a presente Resolução, ficam assim discriminados os grupos profissionais com as respectivas modalidades:

a) - GRUPO DA ENGENHARIA:

I - MODALIDADE CIVIL: Engenheiros Civis, de Fortificação e Construção, Sanitaristas, Geógrafos, Agrimensores, Cartógrafos, Geodésia e Topografia, bem como os Engenheiros Industriais, de Produção, de Operação e os Tecnólogos, todos desta modalidade.

II - MODALIDADE ELETRICISTA: Engenheiros Eletricistas, Eletrônicos, Eletrotécnicos, de Comunicação ou Telecomunicação, Eletricistas modalidade Eletrotécnica ou Eletrônica, bem como os Engenheiros Industriais, de Produção, de Operação e os Tecnólogos, todos desta modalidade.

III - MODALIDADE INDUSTRIAL: Industriais, Mecânicos, Metalurgistas, de Armamento, de Automóveis, Aeronáuticos, Navais, Geologia, Minas, Químicos, Materiais, Petróleo, Têxteis, bem como os Engenheiros Industriais, de Produção, de Operação e Tecnólogos, todos desta modalidade.

b) - GRUPO DA ARQUITETURA:

I - MODALIDADE ARQUITETURA: Arquitetos, Engenheiros-Arquitetos e Urbanistas.

c) - GRUPO DA AGRONOMIA:

I - MODALIDADE AGRONOMIA: Engenheiros Agrônomos, Florestais, Agrícolas, de Pesca, bem como os Meteorologistas e os Tecnólogos desta modalidade.

Art. 28 - Esta Resolução entrará em vigor na data da sua publicação no Diário Oficial da União.

Art. 29 - Revogam-se as disposições em contrário, especialmente a Resolução nº 159, de 27 FEV 1967.

Brasília, 27 OUT 1990.



FREDERICO V. M. BUSSINGER

Presidente
JOÃO EDUARDO AMARAL MORITZ

1º Secretário




Publicada no D.O.U. de 29 NOV 1990 - Seção I - Págs. 22.863/22.864.

Obs.: (1) Revogado pela Lei nº 8.195/91